Disponível 1º edição da Revista da Agricultura Familiar 2017

166
visualizações

Está disponível a primeira edição do ano de 2017 da Revista Agricultura Familiar: Pesquisa, Formação e Desenvolvimento (RAF), do Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas do Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural (NCADR) da UFPA. Liderada pelo professor William Assis, a publicação semestral visa expandir áreas do conhecimento articuladas com a agricultura familiar e a agroecologia, principalmente na Amazônia. A primeira revista do décimo primeiro volume (v. 11, nº 1) está disponível no Portal de Revistas Científicas da UFPA. “Enfatizamos que este número é o primeiro a ser publicado em sua versão eletrônica, o qual contou com apoio crucial da Propesp. Anteriormente, o periódico vinha sendo publicado apenas no formato impresso”, explica o professor William Santos de Assis, um dos editores-chefes da revista.

Objetivo – De acordo com o professor William Santos de Assis, o periódico constitui um veículo de socialização de estudos, pesquisas e experiências, contemplando uma infinidade de temas vinculados ao mundo rural amazônico, brasileiro e internacional, com enfoque nas diferentes dimensões da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Rural Sustentável. Artigos que abordem reflexões teóricas e empíricas com perspectivas multi e interdisciplinares serão bem-vindos. Entretanto a revista publica outras modalidades de trabalhos, como resumos de dissertação e tese, resenhas, entrevistas e relatos de experiências. “Com efeito, nesta edição, apresentamos ao público o dossiê temático intitulado ‘Indicadores multidimensionais e avaliação de agroecossistemas familiares: adaptação e aplicação do MESMIS em território brasileiro’, organizado pelos professores Luís Mauro Santos Silva (UFPA) e Francisco Roberto Caporal (UFRPE). Além dos artigos do dossiê, temos a seção artigos livres.” O dossiê l aborda as dimensões de Sustentabilidade da Agricultura Familiar na Amazônia e em outros territórios brasileiros, analisando fatores que influenciam a produção agrícola e/ou extrativista dos agricultores familiares e sua sustentabilidade, e as dinâmicas econômicas e socioambientais da agricultura familiar, com foco nas relações que se estabelecem entre sociedade e natureza, enfocando a ação pública, reprodução social e ação coletiva.

Importância – De acordo com o professor, o NCADR e o PPGAA têm como foco principal o estudo e a pesquisa-ação voltados aos sistemas de produção familiares (criação, cultivo, extrativismo, pesca, caça, entre outros) amazônicos, com os agricultores familiares e os povos e comunidades tradicionais na Amazônia Legal e Internacional.  Por isso a revista busca estudar as diversas dinâmicas socioambientais e econômicas da atualidade, ligadas a esse tema: “compreender a complexidade dessas dinâmicas permite definir estratégias para o fortalecimento dos agricultores familiares e das Populações Tradicionais. Neste sentido, os estudos veiculados na RAF podem servir para processos de ensino, pesquisa e extensão de profissionais, estudantes e de todos aqueles que se interessam pelo assunto e atuam com esse público”, explica o professor William.

Revista da Agricultura Familiar: Pesquisa, Formação e Desenvolvimento – Lançada em 1996, pelo Núcleo de Estudos Integrados sobre Agricultura Familiar (NEAF, atual NCADR), a revista conta com pesquisadores nacionais e internacionais compondo o corpo editorial e com pareceristas. Hoje, o periódico é avaliado em 5 áreas da Capes: Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – b4; b5 em Ciências Agrárias I; c em Ciências Ambientais; Interdisciplinar – b4; Letras/Linguística – b5.

Segundo o coordenador do PPGAA e editor-chefe, William Assis, o periódico “prioriza artigos resultantes de projetos de pesquisa, reflexões teóricas, registros de práticas de pesquisa, experiências ou práticas exitosas de agricultores, pesquisadores, docentes e discentes dos domínios de interesse rural, que se atenham às permanências e transformações do campo brasileiro e latino-americano.” Por isso a seleção dos artigos ocorre com a avaliação da pertinência dele, submetido quanto ao foco e escopo da revista, e com análise rigorosa feita por  pareceristas ad hoc.

 A próxima edição está prevista para publicação em novembro de 2017. “Por fim, convidamos todos a navegar na RAF, e encorajamos o público que tenha interesse de submeter manuscritos para os dossiês temáticos e as seções livres, pois o calendário de submissão funciona em fluxo contínuo. Para isso, basta acessar o sistema de submissão on-line.”