Campanha da Biblioteca Central em parceria com artista local transforma lâmpadas queimadas em arte

719
visualizações

A preservação do meio ambiente faz parte de um dos princípios da Universidade Federal do Pará, por meio dela, ações ligadas à sustentabilidade se fazem presentes no ambiente universitário, as quais são promovidas através de programas de conscientização e práticas socioambientais.
A Biblioteca Central (BC), por sua vez, contribui com esse preceito com projetos internos que fomentam a consciência ambiental como, por exemplo, a campanha de redução de papel e copos descartáveis. Para firmar ainda mais esse compromisso, a BC continua promovendo novas ações para a preservação do meio ambiente, desta vez, com as lâmpadas fluorescentes queimadas provenientes de vários setores do prédio da biblioteca, que com o decorrer do tempo iam se acumulando sem destino ou finalidade por não haver um projeto de coleta seletiva. No entanto, para este tipo de material, foi encontrada uma alternativa de reaproveitamento, o que gerou a parceria entre a BC e o artesão Fernando Pantoja que, há 15 anos, transforma as lâmpadas em arte. Dessa forma, buscou-se dar uma nova perspectiva sobre o uso desse material visando a redução das agressões causadas à natureza de forma limpa e consciente.

O artista Carlos Fernando Pantoja, de 33 anos, é morador do bairro do Guamá, e conta que realiza esse ofício desde quando era adolescente, aos 14 anos de idade, e que foi ensinado pelo seu pai de criação. E, em virtude da necessidade de uma renda para o sustento da família, Fernando fez do artesanato sua principal profissão, e uniu o útil ao agradável, pois optou por este trabalho também em razão da paixão pela arte. Os artigos produzidos por Fernando possuem grande demanda, o que frequentemente resulta em encomendas, e dentre as peças mais vendidas constam os centros de mesa e os brindes para eventos. O processo de produção é simples, começando pela limpeza interna das lâmpadas com areia sem despejar os detritos no meio ambiente, em seguida molda as peças com o auxílio de um maçarico. Um dos seus grandes objetivos, além da renda, é ter reconhecimento como artista local.

Parceria como essa, proporciona um olhar mais amplo sobre a relação entre a Universidade e a comunidade, uma por promover a universalização do conhecimento, o que envolve fatores como a cultura e a arte, o outro como representante da sociedade sendo integrado nesse processo. A Biblioteca Central, considerando isso, transpassa os limites institucionais para fazer valer a missão, a visão e os princípios da UFPA.

Confira mais fotos:

Fotos: Célia Ribeiro